Lama Tsong Khapa

Tsong Khapa Losang DragpaTsong Khapa Losang Dragpa (tib. Tsong kha pa bLo bzang Grags pa, 1357-1419), nasceu no vale Tsongkha, em 1357, na província de Amdo, no Tibet oriental. De acordo com as biografias tradicionais, seu nascimento foi a culminação de um processo de desenvolvimento espiritual que começou em uma vida anterior, no tempo do Buda Shakyamuni. Como um jovem menino, ele teria oferecido um rosário de cristal ao Buda, que o presenteou com uma concha e disse ao seu atendente, Ananda, que em uma vida futura o jovem menino nasceria no Tibet. Lá, ele fundaria um grande monastério e se tornaria uma das figuras mais influentes na difusão do Dharma na Terra das Neves. O Buda, então, teria previsto que, naquela vida futura, o menino seria chamado Sumatikirti (o equivalente sânscrito para Losang Dragpa).

Tsong Khapa foi ordenado aos 3 anos de idade pelo quarto Karmapa, Rölpe Dorje (tib. Rol pa’i rDo rje, 1340-1383), que deu a ele o nome Künga Nyingpo (tib. Kun dga’ sNying po). Aos 7 anos, ele recebeu os votos de noviço e lhe foi dado o nome Losang Dragpa (tib. bLo bzang Grags pa). Nessa idade, ele já era totalmente devotado à prática religiosa e se sobressaiu no estudo de filosofia buddhista e meditação tântrica. Seu primeiro grande mestre, Chöje Döndrub Rinchen (tib. Chos rje Don grub Rin chen), disse para ele estudar o Ornamento das Realizações Claras (tib. Abhisamayalamkara, tib. Ngönpar Togpe Gyen / mNgon par rTogs pa’i rGyan) de Maitreya, e o iniciou nas práticas das divindades tântricas Yamantaka, Vajrapani, Manjushri, Amitayus etc.

Tsong Khapa foi uma das maiores figuras da história do budismo tibetano. Renomado erudito, meditador e filósofo, seu trabalho escrito contém uma visão compreensiva da filosofia e prática budistas, que integra o sutra, o tantra, a lógica analítica e a meditação yógica. Ele também foi um dos maiores reformadores religiosos do Tibet, um devoto monge budista que dedicou sua vida a revitalizar o budismo tibetano e a recapturar a essência dos ensinamentos de Buda. Foi o fundador da escola Gelugpa. O começo de sua escola pode ser traçado desde a fundação do monastério Ganden, em 1410. Este monastério foi planejado para fornecer um centro à sua escola budista reformada, uma escola na qual os monges deveriam aderir rigorosamente às regras de disciplina monástica (sânsc. vinaya, tib. dül’wa / dul ba), aguçar seus intelectos no debate filosófico e se engajar na prática tântrica de alto nível.

Talvez o maior legado de Tsong Khapa tenha sido a sua brilhante síntese da doutrina e prática budistas, delineados em seus dois principais tratados, a Grande Exposição do Caminho e a Grande Exposição do Mantra Secreto. Cada um destes volumosos textos contém uma visão compreensiva do caminho da iluminação, baseada no modelo indiano clássico. Neste sistema, o iniciante é concebido como uma pessoa cuja mente está aflita por máculas mentais que o impelem de perceber diretamente a realidade. As máculas induzem os seres comuns a se engajar em atividades não-virtuosas, e estas por sua vez resultam em sofrimento. Ainda mais, os seres comuns se tornam condicionados por tais estados mentais negativos por se engajarem repetidamente em atividades não-virtuosas. A chave para se superar o sofrimento esta em eliminar a ignorância básica que impede os seres comuns de ver as conseqüências de suas ações. A apresentação do caminho de Tsong Khapa começa com os seres neste nível e descreve suas condições e causas. Depois desta descrição, ele delineia um caminho gradual, pelo qual eles podem superar suas aflições, se engajar em ações virtuosas, remover as máculas mentais e sus pré-disposições, e finalmente atingir a iluminação através da prática diligente.

Adaptado do livro Introduction to Tibetan Buddhism, de John Powers, Snow Lion Publications, Ithaca – New York, 1995

Sua Santidade, o Dalai Lama

Tenzin Gyatso, o 14º Dalai LamaSua Santidade o 14º Dalai Lama Tenzin Gyatso é o chefe de estado e o líder espiritual do povo tibetano. Ele nasceu Lhamo Dhondrub, no dia 6 de julho de 1935 , em uma aldeia pequena chamada Taktser, na região nordeste do Tibet. Nascido de uma família de camponeses, Sua Santidade foi reconhecida aos dois anos de idade, conforme tradição tibetana, como a reencarnação do seu antecessor, o 13º Dalai Lama, e assim uma encarnação Avalokitesvara, o Buda de Compaixão.

Forçado ao exílio em 1959 pela colonização comunista chinesa ilegal ao Tibet, que continua até os dias de hoje, ele continuou inspirando o povo tibetano e também inspirou milhões de outros povos ao redor do mundo. Em 1989, ele recebeu o Prêmio Nobel da Paz por advocagar firmemente por uma solução não violenta para a ocupação brutal de China ao seu país.

Visite a página na internet de Sua Santidade o Dalai Lama, patrocinado pelo Escritório de Sua Santidade na Índia.

Adaptado dos arquivos de Lama Yeshe Archive Wisdom

Lama Kirti Tsenshab Rimpoche

Lama Kirti Tsenshab RimpocheKirti Tsenshab Rimpoche nasceu na província de Amdo, Tibet oriental, em 1926. Aos seis anos idade foi reconhecido como a reencarnação do abade anterior do Kirti Gompa. Aos noves anos, ele foi ordenado como um monge. Rimpoche recebeu ensinamentos de muitos grandes Lamas da tradição budista tibetana.

Lama Kirti Tsenshab Rimpoche é um dos detentores da linhagem do tantra do Kalachakra, tendo recebido iniciação aos 14 anos. Aos 32 anos, e tendo completado os seus estudos monásticos, ele foi designado como o Abade de Kirti.

Depois de escapar de Tíbet em 1959, Kirti Tsenshab Rimpoche ensinou os órfãos tibetanos na Aldeia das Crianças Tibetanas, Dharamsala, Índia. À idade de 45 anos, ele começou um retiro de meditação de quinze anos, em uma pequena pedra heremita sobre Dharamsala, “grande bastante para uma cama, prosternações e um fogão”. Ele passou sete anos em meditação Lam-Rim, três anos sobre os “Sete Pontos para a Transformação do Pensamento”, e alguma geração e tantra de fase de conclusão. Dois anos foram gastos somente nos estágios de geração e conclusão e nos últimos 3 anos, Rimpoche repetiu tudo.

Rimpoche deu comentário de Kalachakra à Sua Santidade o Dalai Lama e foi professor de Lama Zopa Rimpoche. Lama Zopa Rimpoche disse de Kirti Tsenshab Rinpoche: “Ele é um grande mestre Kadampa que mostra completamente a verdadeira Tradição Kadampa (…) então completamente renunciado. Não há nenhuma atividade mundana mais leve, nem os oito dharmas mundanos mais leve, nenhum pensamento de apego. Mesmo falando, tudo é até possível de agradar às mentes dos seres sencientes”.

Rimpoche tem dado ensinamentos ao redor do mundo em muitos países, incluindo Austrália, Alemanha, Brasil, Holanda, Hong Kong, Itália, Nova Zelândia, Cingapura, Taiwan e Estados Unidos.

Adaptado dos arquivos da FPMT

Lama Thubten Yeshe

Lama Thubten YesheLama Thubten Yeshe nasceu no Tibet, em 1935. Aos seis anos de idade, ele entrou para o Monastério de Sera, em Lhasa, onde estudou até 1959, pois a invasão chinesa ao Tibet o forçou a exilar-se na Índia. Lama Yeshe continuou estudando e meditando na Índia até 1967, quando, com o seu discípulo principal Lama Thubten Zopa Rimpoche, foi para o Nepal. Dois anos depois, ele estabeleceu o Monastério de Kopan, perto de Kathmandu, para ensinar o Budismo aos ocidentais.

Em 1974, os Lamas começaram a fazer excursões anuais ao Ocidente para dar ensinamentos, e como resultado destas viagens, uma rede mundial de centros de estudo budista e meditação – a Fundação para a Preservação da Tradição Mahayana – começou a desenvolver-se. Em 1984, depois de proferir uma década intensa sobre uma grande variedade de ensinamentos incríveis e estabelecer uma atividade da FPMT após a outra, aos quarenta nove anos, Lama Yeshe faleceu. Ele renasceu como Ösel Hita Torres, na Espanha, em 1985.

Foi reconhecido como a encarnação de Lama Yeshe por Sua Santidade o Dalai Lama em 1986 e, como o monge Lama Tenzin Osel Rimpoche, começou a estudar para o seu grau de geshe em 1992, no Monastério de Sera, reconstituído no Sul da Índia.

Adaptado dos arquivos de Lama Yeshe Archive Wisdom

Lama Zopa Rimpoche

Lama Zopa RimpocheRimpoche nasceu em Thami, no Nepal, em 1946. Aos três anos de idade, ele foi reconhecido como a reencarnação da Lama Lawudo, que tinha vivido perto a Lawudo, dentro de visão da casa de Thami de Rimpoche. Aos dez anos de idade, Rimpoche foi para o Tibet e estudou e meditou no Monastério de Domo Geshe Rimpoche, perto de Pagri, até a ocupação chinesa ao Tibet, em 1959, que o forçou a abandonar Tibet para a segurança do Butão.

Rimpoche foi então para um acampamento de refugiados tibetanos em Buxa Duar, Bengal Ocidental, Índia, onde ele conheceu Lama Yeshe que se tornou o seu professor mais íntimo. Em 1967, os Lamas foram para o Nepal e durante os anos seguintes construíram os Monastérios de Kopan e de Lawudo. Em 1971, Lama Zopa Rimpoche deu o seu primeiro retiro anual do famoso curso de lam-rim, que continua em Kopan até hoje.

Em 1974, com Lama Yeshe e Rimpoche começaram a viajar o mundo para ensinar e estabelecer centros de Dharma. Quando Lama Yeshe faleceu em 1984, Rimpoche assumiu como chefe espiritual da FPMT, que continuou florescendo sob a sua liderança inigualável. Mais detalhes sobre a vida e trabalho de Rimpoche podem ser achados na página da internet da FPMT.

Adaptado dos arquivos de Lama Yeshe Archive Wisdom

Ösel Hita

Lama Osel RimpocheTenzin Ösel Hita é um tulku do budismo tibetano nascido em 12 de fevereiro de 1985, em Bubion, Granada, Espanha, que já deu início também à sua carreira como diretor de fotografia de cinema.

Ösel foi identificado, logo após seu nascimento, como a reencarnação de Lama Thubten Yeshe, o que o distinguiu entre os tulkus ocidentais. Tenzin Ösel Rinpoche é, portanto, o seu segundo nome.

Atualmente, como membro de Conselho, Ösel desempenha um papel cada vez mais importante na Fundação para a Preservação da Tradição Mahayana (FPMT), organização fundada por Lama Yeshe. Ao mesmo tempo, continua a estudar e a adquirir experiência com o objetivo de, no futuro, assumir um papel de liderança na FPMT.

Ao longo dos últimos anos, Ösel estudou nos EUA e agora está de volta à Espanha, onde vive. Em 2015, enquanto liderava uma peregrinação à Índia e ao Nepal, Ösel foi gentil o suficiente para falar sobre sua vida, suas experiências, e para passar algumas lições que aprendeu ao longo de seu caminho. Assista ao vídeo: clique aqui.

 

Adaptado dos arquivos da FPMT

Venerável George Churinoff

Venerável George ChurinoffO Venerável George Churinoff (Gelong Thubten Tsultrim) nasceu em Chicago e se formou pelo MIT em 1967, como Bacharel em Ciências Físicas. Após fazer mestrado em Física, ensinou na Choate School, em Connecticut, e na Escola da Comunidade Norte-Americana de Beirute. Ordenou-se monge noviço na Índia, com Kyabje Trijang Rinpoche, em 1976, e como Gelong (ou Bhikshu, monge totalmente ordenado) com Kyabje Ling Rinpoche, em 1977.

O Venerável George foi fundamental na criação do Programa de Mestres do Instituto Lama Tsong Khapa, da Itália, onde estudou e ensinou por oito anos, além de ter passado mais três anos no Centro Tushita de Meditação Mahayana, em Nova Deli. Nesse período, no ano de 1991, ele concluiu o mestrado em Estudos Budistas da Universidade de Nova Deli. Em seguida, trabalhou por três anos com Lama Osel Rinpoche, como orientador educacional, no Monastério de Sera Je, no sul da Índia.

O Ven. George fez inúmeros retiros nas tradições do Sutra e do Tantra, e deu intensivos ensinamentos na América, Europa, Índia e Nepal, Rússia, Mongólia, Cingapura, Austrália, Nova Zelândia e, mais recentemente, nos Estados Unidos, onde transmitiu preceitos do Programa Básico da FPMT, na Terra do Buda da Medicina, por mais de dois anos.